Diferenciais indispensáveis para um projeto de sonorização de ambientes
21/06/2018

Diferenciais indispensáveis para um projeto de sonorização de ambientes

Categoria | Pequeno varejista

Você certamente já deve ter visto projetos de sonorização de ambientes com alguma destas características em algum lugar: instalação mal feita, acabamento ruim, má disposição de equipamentos e até circuitos que não funcionam. Infelizmente isso é mais comum do que se imagina, e não são raros os casos de pessoas que, por não conhecerem o assunto, contratam técnicos mal qualificados e em pouco tempo, têm um sistema inoperante.

 

Essa situação acontece porque o projeto, uma das etapas mais importantes para a instalação de um sistema de som, foi totalmente esquecido ou parcialmente ignorado. Ainda que você tenha muito conhecimento técnico, domine os princípios da eletrônica e esteja antenado no que o mercado oferece de novidades para o setor, precisa avaliar todas as possibilidades e planejar cada etapa do trabalho para que o resultado seja duradouro e eficiente para o cliente.

 

Planejamento é tudo

 

Em primeiro lugar, é importante saber que uma boa instalação de som ambiente não aconteceu por acaso, de forma aleatória. Para que o cliente pudesse entrar no ambiente e ter um impacto visual e sonoro positivos, com um acabamento perfeito e uma resposta de áudio agradável, o técnico precisou analisar minuciosamente o local onde os equipamentos vão ficar. Além disso, foi necessário calcular a interferência de elementos externos como detalhes de engenharia e arquitetura e ondas sonoras estacionárias e conhecer bem os dispositivos, oferecendo a melhor experiência de uso para o cliente. Esta etapa começa antes da venda, exige disposição e atenção: é importante ir até o lugar, analisá-lo com atenção e depois voltar ao escritório a fim de desenvolver o projeto.

 

Estipule um prazo para o dimensionamento das necessidades e o desenvolvimento da solução. Lembre-se que o maior desejo de quem contrata a instalação de um sistema de som ambiente é ter a certeza de que adquiriu produtos de qualidade com um profissional qualificado e que se preocupou com o capricho da instalação, que foi finalizada com um bom acabamento e sem falhas.

 

Infraestrutura adequada

 

Depois da visita técnica e do projeto elaborado e aprovado, é hora de começar a montagem. Essa etapa não é totalmente ligada à elétrica e eletrônica, por isso certifique-se de ter na equipe alguém com conhecimentos básicos de construção. Obviamente ninguém irá erguer uma parede, mas algumas intervenções serão necessárias como furar paredes e remover forros.

 

O procedimento é simples, mas requer atenção. Para instalar as caixas acústicas, por exemplo, é necessário passar antes a fiação que em alguns lugares poderá ser inserida nos conduítes elétricos. Em outros casos, será preciso usar uma furadeira com uma serra-copo para abrir espaços mais adequados.

 

Na elaboração do projeto, você já deve ter definido o tipo de caixa acústica que será instalada. No caso das arandelas, sobre as quais falaremos mais adiante, lembre-se que elas foram projetadas para ficar embutidas. Por isso use o gabarito que está presente na embalagem do produto para marcar a furação e executá-la com segurança e da forma mais precisa possível. Evite cortar demais e nunca faça o buraco considerando as bordas externas do produto, para não correr o risco de deixar uma fresta e ter que preenchê-la com massa ou outras substâncias.

 

Fique atento ainda à pressão da furadeira e da parafusadeira: quando o trabalho for feito em superfícies de gesso e PVC, mantenha uma intensidade média. No caso de forros e estruturas de Isopor ou sisal trançado, a pressão mínima é suficiente.

 

Equipamentos de qualidade

 

Lembre-se que para o usuário é fundamental que a interface de operação seja amigável. É importante que o sistema se conecte com facilidade com celulares, tablets e computadores, tenha boa potência e qualidade sonora adequada. Para atender estes requisitos, defina o melhor tipo de amplificador, use fios e cabos de primeira linha e escolha bem as caixas acústicas.

 

Elas podem ser do tipo tradicional, que são fixadas em paredes laterais e colunas, ou arandelas. Estas funcionam em todos os ambientes, distribuem o som de forma mais uniforme e são consideradas por muitos como mais discretas. Além de terem modelos em cores neutras, podem ser embutidas e não chamam a atenção visual.


Para dar ainda mais qualidade ao seu projeto, dê preferência a fabricantes que ofereçam a linha completa para sonorização de ambientes: amplificadores e caixas acústicas. A Frahm, marca brasileira com mais de 50 anos de história, disponibiliza um portfólio completo aos instaladores, o que ajuda a desenvolver a melhor solução para quaisquer ambientes.

 

 

< Anterior Próximo >