Como escolher a melhor caixa amplificada para som ambiente?
28/02/2019

Como escolher a melhor caixa amplificada para som ambiente?

Categoria |

Uma das dúvidas mais frequentes de quem quer montar um sistema de sonorização é sobre como escolher a melhor caixa amplificada para som ambiente. Além dos critérios técnicos que são muito importantes, há uma série de detalhes — muitos deles estéticos, inclusive — que também devem ser observados antes da tomada de decisão final.

 

Antes de tudo, porém, é importante saber que a popularização de marcas e a facilidade ampliada de importação e aquisição de produtos eletroeletrônicos produzidos fora do país, sobretudo na Ásia, inundou o mercado com itens que apresentam custo baixo mas não respondem com a qualidade já comprovada em marcas tradicionais. Voltadas geralmente para o mercado amador, essas opções tendem a oferecer pouca resistência, dados técnicos insuficientes e se expostas à situações de uso intenso, podem falhar.

 

Considerando o fato de que um sistema de sonorização ambiente precisa “fazer bonito” para o seu dono e para os que frequentarão aquele espaço, dedicar especial atenção a este texto e estudar minuciosamente cada uma das alternativas oferecidas pelo mercado para a sua necessidade pode deixar a sua compra mais racional e inteligente. Afinal, ninguém quer instalar um som que falhe na frente do cliente ou frustre suas expectativas naquele tão esperado momento de lazer.

 

Tipos de uso da caixa amplificada para som ambiente

 

Uma rápida busca na internet é suficiente para mostrar como o mercado de caixas amplificadas é vasto. Todas, aparentemente, propõem soluções diversas que podem iludir o consumidor que detiver menos informações sobre o tema. Isso porque, para o leigo, qualquer caixa será capaz de atender a todo o tipo de demanda que surgir, independentemente do tamanho do local a ser sonorizado, dos equipamentos que serão conectados e da experiência (qualidade) sonora que se deseje obter.

 

Obviamente que os profissionais do ramo de sonorização de ambientes sabem que isso não é verdade e que cada equipamento é projetado para atender a um tipo específico de demanda. Como identificar, portanto, as melhores opções para cada tipo de projeto de sonorização?

 

A primeira questão a ser respondida é: qual será a finalidade principal da caixa acústica a ser utilizada. Há pelo menos três opções:

 

Ouvir música

 

Esse tipo de uso, considerado o mais básico, é o que dá maior liberdade para a pesquisa do produto ideal e a composição de orçamentos. Na maior parte dos casos, quem deseja apenas uma caixa amplificada para ambiente de modo a elevar a potência do som propagado por uma televisão, um notebook, um Blu-ray/DVD player ou até mesmo um celular, tem a sua disposição equipamentos de menor custo.

 

É importante destacar que as opções para atender a esta categoria são modernas e foram desenvolvidas para atender aos anseios dos consumidores modernos. Caixas amplificadas desta categoria costumam ter:

 

    • Diversas opções de de conexão: é possível usá-las de forma integrada com um smartphone via Bluetooth, na reprodução de cartões de memória e pendrives, para reproduzir áudio proveniente de players diversos ou de aparelhos de TV;
    • Portabilidade: é comum essas caixas tenham carenagem (parte externa e acabamentos) voltada à facilitação do transporte. Muitas têm rodinhas e alças que permitem que o usuário as leve para diversos ambientes da casa ou do estabelecimento comercial;

 

  • Bateria e alimentação por meio de corrente alternada: para permitir a instalação em diversos lugares diferentes, uma caixa amplificada para ambiente com essa classificação costuma receber a energia por meio da tomada ou de uma fonte de alimentação interna e recarregável. Dessa forma, a música nunca acaba;
  • Controle remoto: o controle desse tipo de equipamento costuma ser feito por meio de um pequeno dispositivo que acompanha o produto. Por meio dele é possível navegar pelas pastas do dispositivo de armazenamento externo, aumentar ou abaixar o volume e executar outros comandos relacionados à reprodução sonora.

 

 

Há ainda outros atrativos, como sistema de iluminação com LEDs que mudam de cor conforme o áudio reproduzido e potência sonora entre 150 e 300 Watts (W).

 

Ouvir música, cantar e tocar algum instrumento

 

Geralmente quem procura por uma caixa amplificada tem, além do gosto e interesse pela música já gravada para ser reproduzida por streaming, CD ou USB, também quer demonstrar seu próprio talento cantando ou tocando algum instrumento. Com a escolha do tipo de produto correto, é possível ter essas duas funções num mesmo equipamento.

 

A solução passa por itens versáteis e eficientes que ofereçam, além de múltiplas formas de conexão, capacidade de integração com sinais elétricos provenientes de microfones, guitarras, violões e outros instrumentos musicais. Para isso, é importante que a caixa amplificada escolhida tenha diferentes tipos de entrada.

 

Equipamentos desse tipo têm no painel frontal uma série de knobs e potenciômetros (botões giratórios para o controle do volume e da intensidade do sinal), além de conectores tipo fêmea de diversos padrões: RCA (também conhecido como “cabo de áudio e vídeo”) e P10 (os conhecidos plugues balanceados ou do tipo “banana”) são os mais comuns. É por meio deles que os cabos levarão o som captado para dentro do amplificador, também embutido na caixa, e além de aumentar seu volume, processarão o sinal para que ele possa ser ouvido em um espaço maior.

 

Uma característica muito importante desse tipo de equipamento é que eles costumam ter a capacidade de mixar os sinais, o que é muito útil num ambiente maior ou numa pequena festa: pode-se deixar uma fonte de áudio rodando músicas quaisquer e quando alguém quiser cantar ou tocar, reduz-se o volume do canal gravado e aumenta-se o dos instrumentos/microfone. Isso elimina o desgaste do equipamento causado pela troca constante de cabos e o desconforto auditivo decorrente do plugar/desplugar de cabos da caixa.

 

Esse tipo de caixa amplificada possui um alto-falante para as frequências graves e médio-graves e um driver para as agudas. Também há equalizadores de duas vias (graves e agudos) para obter a melhor resposta sonora no ambiente e proporcionar uma experiência agradável a quem canta e quem ouve. Outra característica, alinhada à necessidade de conectividade dos consumidores modernos, é a possibilidade de controle da caixa por meio de um aplicativo disponível para os sistemas operacionais mobile Android e iOS.

 

Som ambiente profissional

 

Neste universo, além da praticidade de uso e da qualidade sonora, comuns às outras caixas amplificadas que você leu nesse texto, é importante que os equipamentos apresentem robustez e resistência para serem levados de um lado para o outro com frequência e entreguem o mesmo desempenho, mesmo após anos de uso. Esse é o tipo de caixa perfeito para aplicações de pequeno e médio porte em auditórios, academias, bares, restaurantes, clubes e templos religiosos — entre outras aplicações.

 

Além das conexões Bluetooth e da possibilidade de controle por meio do aplicativo sobre o qual falamos acima, as caixas da linha profissional podem ser conectadas a outra unidade para a formação de uma rede de som de alta qualidade.

 

Categorizadas como ativas e passivas, essas caixas se diferenciam por terem um amplificador interno que é capaz de aumentar o volume e a potência do sinal cru recebido por uma fonte de áudio (caso das ativas) ou receberem o sinal já amplificado e propagarem por meio dos drivers e alto-falantes (passivas).

 

Cada caixa tem potência de 300W e potência musical que chega a 800W, são construídas no sistema bass reflex — tipo de construção da caixa que usa uma abertura de ventilação para a passagem do ar e aumento da força do grave — e equalizador de três vias: graves (90Hz), médios (1KHz) e agudos (10KHz). O alto-falante é de 15 polegadas e ela pode ser alimentada por meio da conexão à rede elétrica de 110 ou 220 Volts (V).

 

Atenção aos detalhes técnicos

 

Como você viu até agora, há diversas opções de caixas amplificadas para sonorização de ambientes que priorizam determinadas funcionalidades em relação às necessidades dos mercados para os quais elas são concebidas. Então parece óbvio que escolher uma caixa pela potência em Watts não é a melhor maneira de considerar o produto certo a ser comprado, concorda?

 

Este número não está diretamente ligado à intensidade do volume ou à pressão acústica. Isso porque não há uma relação linear entre a potência fornecida pelo equipamento e a intensidade do nível sonoro, já que o ouvido humano percebe os estímulos auditivos de forma logarítmica (mais lenta, ao contrário do exponencial). Explicando melhor: a variação do nível sonoro, medida em decibéis (dB), pode até aumentar em uma unidade, mas só será percebida pelo nosso sistema auditivo quando o acréscimo (ou a redução) for de 3dB. No entanto, a variação de três decibéis exige o dobro da potência sonora. Logo, a diferença entre um amplificador de 15W e um de 30W não é o dobro do volume, mas apenas um acréscimo de 3dB!

 

Caso você deseje obter o dobro da intensidade sonora precisará fornecer dez vezes mais potência ao sistema, o que é equivalente a 10dB. Conforme o exemplo acima, se você precisar dobrar o volume do som fornecido pelo amplificador de 15W, precisará substitui-lo por um de 150W.

 

Sensibilidade da caixa amplificada para ambiente

 

O projeto das caixas amplificadas pode interferir na intensidade sonora mesmo quando a mesma potência for fornecida pelo amplificador para dois produtos diferentes. Isso acontece por conta da sensibilidade da caixa.

 

Medida em decibéis, ela corresponde à intensidade sonora produzida por ela a um metro de distância, com potência recebida de 1W. Quanto menor a sensibilidade, maior será a potência necessária para entregar o mesmo volume. Por exemplo: uma caixa com sensibilidade de 88dB precisa do dobro da potência para tocar na mesma intensidade de uma caixa de 91dB (lembre-se que 3dB é o dobro da potência).


Para saber mais sobre como melhorar o seu projeto por meio da escolha correta da caixa amplificada para ambiente, acesse o nosso site e leia o nosso blog.

 

< Anterior Próximo >