Cálculo de som ambiente: como fazer para obter bons resultados?
21/09/2020

Cálculo de som ambiente: como fazer para obter bons resultados?

O cálculo de som ambiente é uma peça chave para ter um ambiente aconchegante e com som de qualidade. Não basta somente escolher bons equipamentos e fazer a instalação. Isso porque essa análise vai sugerir os recursos com a potência correta, garantir o melhor aproveitamento sonoro do lugar e do investimento feito por quem contratou os seus serviços. 

 

Fazer o cálculo de som ambiente adequadamente não é uma tarefa difícil, mas exige atenção e conhecimento prévio. Neste artigo, você vai aprender a fazê-lo corretamente. Acompanhe!

 

Entenda as diferenças entre sonorização comercial e residencial

 

Antes de irmos para a parte prática e ensinarmos a fazer o cálculo de som ambiente, você deve entender quais são as diferenças entre sonorização comercial e residencial

 

A sonorização comercial é feita em supermercados, shoppings, lojas e outros ambientes onde o uso de microfones e equipamentos profissionais podem ser necessários. Nesse caso, o objetivo da sonorização é ajudar o comerciante a aumentar o seu rendimento. Além disso, na sonorização comercial é possível utilizar equipamentos de entrada porque o ambiente não exige uma potência elevada. 

 

Por outro lado, no ambiente residencial, a potência é fundamental e os recursos devem oferecer maior qualidade e tecnologia, como sistema stereo, amplificadores com entrada óptica e áudio digital, sistema Wi-Fi etc. 

 

A sonorização de ambientes residenciais e comerciais é feita de forma diferente pois, além das características de cada um, no residencial o desejo do usuário tem forte influência sobre o projeto, enquanto no ambiente comercial, aspectos técnicos são mais considerados. 

 

Comece o cálculo de som ambiente definindo o número de caixas acústicas

 

Diante da explicação do tópico anterior, fica mais fácil entender porque a avaliação do ambiente é imprescindível e, portanto, proporcionar a sonorização adequada vai depender de uma série de fatores. 

 

No ambiente residencial, você terá que definir a quantidade de caixas acústicas a serem utilizadas e dimensioná-las corretamente, considerando os dados de comprimento, largura e altura do espaço. Neste caso, incluir uma visita técnica no cronograma de trabalho é fundamental. Busque respostas para questões como:

 

  • O local onde o sistema será instalado tem pé direito alto ou baixo?
  • Como é a acústica do ambiente?
  • Há ruídos internos ou externos interferindo no espaço?
  • A disposição de móveis e objetos influencia na sonorização?
  • A instalação de som é para uso comercial ou residencial?
  • Qual o volume mínimo que se deseja e o máximo que se pode e pretende atingir?

 

Com isso em mente, deve-se pensar que o cálculo de som ambiente indica que a distância ideal entre geradores de áudio (caixas) deve ficar entre 4 e 8 metros. Para que se tenha uma ideia, em um espaço de 20x15 metros, por exemplo, você pode considerar três caixas em cada uma das paredes mais extensas do local e duas caixas nas paredes menores. Lembrando que o tipo de ambiente, o tamanho e a potência das caixas também deve entrar nesta conta.

 

Existem vários tipos de caixas acústicas com modelos planejados para atender às necessidades estéticas do consumidor. Os modelos mais comuns são os de embutir e de sobrepor, e você encontra essas variações disponíveis via diferentes fabricantes nacionais.

 

Guia para Instalação de Som Ambiente

 

Potência e impedância

 

Como acontece com a quantidade de caixas, a potência necessária também deverá ser determinada levando em consideração as características do projeto. Vale destacar que não existe uma relação direta entre potência (W) e pressão sonora (dB). 

 

Ambientes fechados, como é o caso de escritórios, lojas e consultórios, tendem a apresentar melhor resultado com mais pressão sonora e menos potência. Já ambientes abertos, como áreas de lazer, a pressão sonora pode ser dispensada, neste caso, é necessário dar foco para a potência.

 

Como exemplo, no ambiente residencial é possível trabalhar com potência superior a 25 Watts (W) por caixa, já no comercial, caixas com potência entre 5 e 20 Watts (W) são suficientes. Em espaços menores que o mencionado anteriormente, considere uma potência de 5 a 10 Watts (W) por caixa. 

 

Outro ponto importante com relação à potência é que cada tamanho de ambiente comercial exige um nível diferente. Um supermercado, por exemplo, não precisa de caixas de som com potência elevada, pois é necessário usar uma quantidade maior de aparelhos, que vão garantir uma distribuição mais uniforme do som. 

 

Em outro ambiente, como uma loja de roupas, de 100m², por exemplo, é necessário fazer também uma avaliação do pé direito. Caso o estabelecimento esta medida seja superior a 5 metros, é possível utilizar uma caixa de som ou arandela de 10 a 25 Watts (W). 

 

Além disso, o tipo de ambiente deve ser considerado. Uma recepção, por exemplo, exige menos potência, uma academia já exige mais.

A sonorização residencial é um projeto individual no qual o cliente tem maior influência sobre sua construção. Isso quer dizer o usuário vai orientar o técnico sobre o seu objetivo e o projeto será desenvolvido de acordo com essas características específicas. 

 

Por isso não há uma fórmula ou receita a seguir. É preciso avaliar cada caso, pois a sonorização deve atender as necessidades e desejos do cliente.

Outro ponto a ser avaliado além da potência é a impedância. Ela corresponde à resistência que o sinal sonoro pode encontrar ao se deslocar por determinado meio, como o fio elétrico, por exemplo. Para evitar ruídos indevidos ou que até mesmo danifique a saída de algum equipamento, avalie se é necessário contar com um sistema paralelo ou em série para ligar os alto-falantes ao amplificador.

 

Voltando ao exemplo do ambiente de 20x15 metros, onde a ideia é instalar três caixas em cada uma das paredes mais extensas e duas caixas nas paredes menores deste ambiente, você pode tomar como exemplo o seguinte raciocínio:

 

  • dois alto-falantes de 8 Ohms (unidade de medida utilizada para mensurar a impedância) cada ligados em paralelo terão impedância resultante de 4 Ohms (8 / 2 = 4);
  • na ligação em série, dois alto-falantes de 8 Ohms terão uma impedância total de 16 Ohms (8 + 8 = 16).

 

É importante lembrar que nem sempre a potência dobra ao se diminuir a impedância pela metade, isso é algo que depende do projeto do amplificador. Este é apenas um exemplo para a ligação de caixas e amplificadores em um sistema. Leve em consideração as características do ambiente e do projeto.

 

Escolha dos amplificadores

 

A escolha do amplificador é uma das mais importantes decisões a serem tomadas para definir seu projeto, junto à realização do cálculo de som ambiente. As exigências para a adoção do amplificador de uso doméstico são diferentes das levadas em consideração em caso de sonorização de um ambiente comercial ou mesmo da pensada para um palco.

 

Amplificadores residenciais normalmente são usados com duas caixas (estéreo) de potência intermediária. Para o som ambiente basta pouca potência dividida em um número maior de caixas. A escolha equivocada do amplificador pode prejudicar a eficiência da sua sonorização.

 

Hoje em dia os amplificadores contam com entrada óptica para facilitar a conexão com equipamentos eletrônicos. Outro canal possível é a conexão Wi-Fi para envio de músicas por meio de aplicativos de serviços de streaming digital que são acesso a músicas, podcasts e vídeos. Além, claro, da entrada analógica para ligar o amplificador a equipamentos que disponham desta forma de integração. Não hesite em usar as tecnologias disponíveis a seu favor.!

 

Para conhecer melhor quais modelos de amplificador, caixas de som e dispositivos de controle e conectividade são os mais adequados para o seu projeto, acesse o nosso site e leia o nosso blog.

 

Infográfico projeto de sonorização ambiente

< Anterior Próximo >