Como instalar um alto-falante em ambiente comercial
08/04/2020

Como instalar um alto-falante em ambiente comercial

Em projetos de arquitetura comercial, a instalação correta da iluminação e do aparato de som pode fazer toda diferença na experiência do cliente. O som e a iluminação são capazes de estimular as percepções e sensações do público, por isso devem ser estudados de forma que o melhor posicionamento seja definido. 

 

Entretanto, no momento da instalação, alguns fatores podem prejudicar o resultado, mesmo que o projeto tenha sido bem desenhado. Contar com o acompanhamento do arquiteto - para orientar sobre o projeto - e de um técnico que saiba fazer a correta instalação é fundamental. 

 

Além disso, o arquiteto deve ter pelo menos conhecimento básico sobre o assunto para conseguir identificar falhas durante a instalação. Confira, neste artigo, como instalar um alto-falante em ambiente comercial para ter sucesso na finalização do seu projeto.

 

10 dicas para instalar um alto-falante em um ambiente comercial

 

A sonorização de ambientes pode estimular sensações e desejos nas pessoas, como a vontade de comprar, por exemplo. A tendência é que o cliente permaneça mais tempo em um ambiente sonorizado. Por isso, a escolha e a instalação do equipamento de som são ações que exigem cautela e atenção dos profissionais de arquitetura. 

 

Veja algumas dicas de como instalar um alto-falante em um ambiente comercial:

 

1) Dê ênfase à voz

 

O primeiro passo é a escolha do equipamento. Cada aparelho de som conta com indicações de uso que devem ser respeitadas. Um alto falante com potência para locais abertos não será bem aproveitado em uma sala fechada e de poucos metros quadrados. 

 

Locais em que a voz será usada como mecanismo de comunicação, como lojas com locutores, por exemplo, precisam de equipamentos destinados a isso. Tenha esse cuidado na hora de escolher o aparelho. 

 

2) Distribuição uniforme do som

 

A distribuição uniforme do som consiste na utilização de mais caixas para que menos potência seja aplicada em cada uma. Em média, a potência aplicada em cada caixa varia entre 2 e 5 watts. Isso evita que o som seja emitido com estridência ou ruídos que podem prejudicar a experiência do cliente. Além disso, o ideal é adquirir arandelas e caixas que sejam projetadas para a sonorização de ambientes. 

 

Quanto mais caixas e arandelas, menos potência será usada e menos estridente será o som. O cliente tem que se sentir à vontade no local e uma boa sensação com o som. 

 

3) Atenção para as dimensões do espaço

 

As dimensões do espaço que será sonorizado influenciam no modelo, tipo e quantidade de equipamentos que serão necessários. Levante as informações sobre a altura, largura e comprimento do local. Em seguida, calcule o metro quadrado e a área total do ambiente. 

 

Para chegar nessa informação, multiplique a largura pelo comprimento do local. A quantidade de caixas que serão necessárias para sonorizar o ambiente é o resultado da divisão da área total pela área de cobertura de cada arandela. 

 

A área de cobertura de cada arandela é definida pelo orçamento do projeto:

 

  • 25m² de cobertura para orçamentos baixos;
  • 16m² de cobertura para orçamentos médios;
  • 9m² de cobertura para orçamentos altos.

 

Exemplo:

 

A sonorização de uma loja de 10 metros de largura por 10 metros de comprimento com baixo orçamento. São 100 metros no total que devem ser divididos por 25m². Nesse caso, serão necessárias 4 caixas ou arandelas.

 

4) Distribuição dos alto-falantes

 

A distribuição dos alto-falantes depende da altura do ambiente. Quanto maior a altura, maior a distância entre os alto-falantes. Isso reduz a quantidade de caixas necessárias no ambiente, mas com uma potência maior aplicada em cada uma. 

 

Ambientes com altura menor exigem uma quantidade maior de caixas, que vão ficar mais próximas, porém com uma potência menor aplicada. De forma prática, podemos aumentar a distância entre as caixas em um metro para cada metro adicional. O mesmo vale caso seja necessário diminuir a altura.

 

O importante é que a distribuição dos alto-falantes no ambiente seja feita de forma que o som fique uniforme.

 

5) Como deve ser a ligação de caixas no amplificador

 

Em geral, os amplificadores possuem impedância mínima de operação de 2, 4, 8 e até 16 OHMS (relação entre a tensão de um volt e uma corrente de ampère). A impedância mínima de operação ou ligação é a especificação mínima de ligação dos alto-falantes ou caixas acústicas recomendadas pelo fabricante. 

 

Esse deve ser o número de equipamentos ligados em sua saída sem que o aparelho acione a proteção ou prejudique o produto.

 

Ligando as caixas no amplificador é possível obter maior transferência de potência e otimizar o custo-benefício do recurso. Para isso, a impedância resultante das caixas deve ser igual a impedância mínima de operação do amplificador.

 

Os especialistas não recomendam trabalhar com impedância resultante de ligação menor do que a especificação mínima do amplificador. Isso aumenta os riscos de danificação do equipamento. Mesmo que seja ligado com volume baixo, a corrente elétrica de saída do amplificador pode ultrapassar os limites do fabricante e danificar o equipamento.

 

6) Distâncias e bitolas dos cabos

 

As bitolas são a área de diâmetro dos cabos e existe uma grande variedade desse componente. Cada uma suporta uma corrente máxima e uma resistência elétrica característica para cada comprimento. Isso quer dizer que, quanto maior a bitola do cabo, maior é a sua capacidade de corrente e menor a sua resistência para longas distâncias. 

 

A resistência elétrica pode impedir que o sinal sonoro tenha a mesma amplitude em caixas próximas ao amplificador, em relação às caixas distantes. Por isso, é importante se atentar a esse fator. Em geral, bitolas de cabo maiores são melhores, mas o custo deve ser avaliado caso a caso. 

 

Além disso, os cabos de sinal negativo ou positivo devem usar a mesma bitola, o uso de fios paralelos facilita a instalação e garante qualidade para o caminho do sinal de áudio. 

 

7) Distância entre a saída do amplificador e as caixas instaladas

 

Uma das principais dificuldades enfrentadas pelos profissionais na instalação de alto-falantes é a distância que o áudio vai percorrer entre a saída do amplificador e as caixas instaladas. Ou ainda, entre a primeira e a última caixa do sistema. 

 

A distância pode causar uma diferenciação no nível do sinal, devido a maior resistência do fio. Quanto maior for a distância entre a caixa e o amplificador, menor será a intensidade do sinal de áudio.

 

Isso pode ser evitado com a utilização de transformadores tronco e linha. Os transformadores elevam a tensão da linha, fazendo com que as perdas causadas pela resistência do fio sejam praticamente imperceptíveis. Assim, a reprodução uniforme do som é garantida da primeira até a última caixa.

 

O uso dos transformadores facilita o casamento das impedâncias das cargas em relação às saídas do amplificador. 

 

8) Ajuste de som em ambientes com características diferentes

 

A setorização é o ajuste de som em ambientes com características diferentes ou de caixas com especificações diferentes. O uso da setorização é necessário quando as diferenças são entre: 

 

  • Volume independente;
  • Níveis diferentes de ruído;
  • Altura das caixas instaladas;
  • Instalação com caixas menores e maiores;
  • Exigência de volume mais alto no ambiente.

 

A setorização faz com que a instalação da sonorização tenha flexibilidade de ajustes e seja mais utilizada do que outras soluções. 

 

9) Como ajustar o volume das caixas de forma independente

 

Os potenciômetros de fio são usados para ajustar o volume de uma ou duas caixas de som de forma independente. O recurso pode ser instalado diretamente na caixa ou de forma externa. 

 

Usando o potenciômetro é possível ajustar o volume de uma ou duas caixas sem prejudicar o áudio nos demais aparelhos. O equipamento também pode ser usado junto com transformadores de linha de áudio, quando várias caixas estão ligadas a uma sonorização e é necessário ajustar o volume de um único equipamento. 

 

É preciso ter cuidado com a instalação desses componentes, pois caso sejam utilizados de forma incorreta as caixas de som podem deixar de funcionar ou queimar o amplificador. 

 

10) O material presente no ambiente pode interferir no som?

 

Ambientes sem forro, pé direito alto, vidros, cerâmica, entre outros materiais podem interferir no som do ambiente e o arquiteto precisa considerá-los na hora de desenvolver o projeto. 

 

Caso o local apresente fatores que possam prejudicar a acústica, será necessário fazer um tratamento para ajudar na absorção das ondas que são causadas. O profissional deve avaliar os materiais do forro e se permite o uso de caixas de embutir, isso proporcionará um resultado melhor para a sonorização. 

 

Para os ambientes comerciais, o ideal é usar arandelas, pois a qualidade no som e na experiência do cliente será melhor. Entretanto, no geral, o ambiente comercial não apresenta fatores que podem prejudicar a sonorização. 


Em caso de dúvidas, o ideal é consultar um especialista e sempre contratar um técnico para fazer a instalação. A Frahm presta consultoria, desenvolve projetos e realiza treinamentos para arquitetos que têm interesse em entender melhor sobre a sonorização de ambientes e quer aprender como instalar um alto-falante em ambiente comercial.

 

Passo a passo para a instalação da sua caixa para som ambiente

< Anterior Próximo >