Potência para caixa de som: qual a ideal para sonorização de ambientes?
23/06/2022

Potência para caixa de som: qual a ideal para sonorização de ambientes?

Um projeto de sonorização é desenvolvido a partir de uma análise técnica, que considera diversos fatores. Na escolha dos equipamentos que serão utilizados no projeto, existem aspectos técnicos que podem influenciar na experiência de uso do sistema. A potência para caixa de som é uma delas.

 

Existem muitos mitos em torno da potência para caixa de som, o que leva os profissionais a fazer escolhas erradas. Neste artigo, você vai entender como deve ser feita a avaliação da potência para caixa de som e encontrar o modelo ideal para a sonorização de ambientes dos seus clientes. Confira!

 

Potência para caixa de som: o que considerar ao escolher?

 

Maior potência nem sempre é melhor

 

É bastante comum que clientes e até profissionais relacionem a qualidade de um sistema pela potência que a caixa entrega. Esse tipo de pensamento é um grande equívoco e pode levar as pessoas a investirem valores exorbitantes sem necessidade.

 

A escolha da potência de uma caixa deve ser feita com base na necessidade do ambiente. Em ambientes pequenos e fechados, por exemplo, é provável que uma superpotência nem seja utilizada. Essa decisão deve ser feita com base em um conjunto de fatores e não apenas em um senso comum.

 

Obtenha a medida real da potência

 

Root Mean Square (RMS) é a medida que corresponde à média de potência que será emanada pelo alto-falante de fato, sendo obtida a partir dos valores que antecedem o ponto de distorção do som.

 

É uma resposta mais clara e oposta ao P.M.P.O (Power Music Pic Output), que mostra quais são os valores obtidos a partir da medida da potência elétrica aplicada ao alto-falante. O problema desse resultado é que ele não corresponde ao que é convertido em som. Durante suas pesquisas, para encontrar a caixa de som ideal, lembre-se de verificar as medidas em RMS.

 

Relação entre potência e impedância

 

A impedância está relacionada à resistência que o sinal sonoro pode encontrar quando se desloca por um determinado local, como o fio elétrico. Dessa forma, ruídos indevidos podem ser gerados ou a saída do equipamento pode ser danificada. Para evitar esses problemas, avalie a necessidade de utilizar um sistema paralelo ou em série para ligar o amplificador e os alto-falantes.

 

Outro ponto importante é que não é em todas as situações que a potência vai dobrar ao diminuir a impedância pela metade. Essa relação vai depender do amplificador utilizado. Para calcular a impedância e a sua relação com a potência, sempre deve-se considerar as características do ambiente e do projeto.

 

Características do ambiente e de uso do sistema

 

Ambientes fechados e pequenos exigem um nível de potência diferente dos ambientes abertos e grandes, por exemplo. A quantidade de pessoas que vai usar o sistema de som e permanecer no ambiente também influencia na definição da potência para caixa de som.

 

Cada ambiente conta com suas particularidades e elas devem ser contempladas no desenho do projeto para que a escolha seja feita adequadamente. Além disso, essas características vão definir quantas caixas serão necessárias no local.

 

Quantidade de caixas acústicas necessárias no projeto

 

Não existe uma fórmula pronta com a definição da quantidade de caixas para cada ambiente, metragem, tipo de uso etc. A definição correta vai depender do dimensionamento do ambiente e do cálculo de som, mas, além disso, você terá que responder algumas perguntas, por exemplo:

 

  • Como é o comportamento acústico do ambiente?
  • Há ruído interno e externo?
  • Qual é a altura do pé direito do ambiente?
  • Qual layout e o mobiliário usado no local?
  • Como é a paginação do forro?
  • Qual é o objetivo da sonorização: comercial, residencial, profissional etc.?
  • Qual o volume máximo desejado e o volume mínimo necessário?

 

Essas respostas devem ser utilizadas como informações adicionais, que devem ser reunidas em outras análises do projeto. Com tudo em mãos, cruze as informações para avaliar como cada uma delas impacta no projeto.

 

Como calcular a potência para caixa de som em ambientes residenciais?

 

Um grande desafio no cálculo de som é alinhar a expectativa com o resultado. No mercado, existe uma grande diversidade de produtos entre os fabricantes. Isso quer dizer que uma caixa pode ter potência de 120W, mas ter qualidade pior do que a de uma caixa de 60W. 

 

Por isso, é tão importante trabalhar com produtos que sejam todos da mesma linha ou fabricante. Uma regra básica, utilizada no dimensionamento de ambientes residenciais, é que cada caixa deve ter no mínimo 25W. 

 

O cálculo de som ambiente determina qual é a distância ideal entre as caixas de som. Elas devem ficar a uma distância entre 4 e 8 metros. Dessa forma, em um espaço de 20x15 metros, você pode usar três caixas em cada uma das paredes com maior metragem e duas caixas nas paredes menores de menor metragem.  Na hora de fazer esse cálculo, você também deve considerar a potência de cada caixa.

 

Aprenda mais sobre o cálculo de som ambiente

 

A definição das caixas vai impactar na escolha do amplificador e essa avaliação também pode levar a erros. Algumas pessoas somam o valor das potências das caixas para chegar ao valor de potência necessária para um amplificador. Porém, cada caixa tem uma potência admissível e não potência de trabalho. Na dúvida, opte por trabalhar com caixas com potência mínima de 25W. 

 

Quer entender melhor sobre como ter mais potência em seus projetos? Baixe nosso e-book gratuito: Como montar um som residencial potente?

< Anterior Próximo >