Confira o lançamento das soluções HS e CS e acerte na escolha da caixa acústica
17/07/2019

Confira o lançamento das soluções HS e CS e acerte na escolha da caixa acústica

A experiência com um equipamento de som pode ser frustrante para muitas pessoas. Em geral, o usuário não sabe quais fatores considerar na hora de optar por um modelo ou outro de caixa acústica. Além disso, os equipamentos são divulgados com uma série de informações técnicas que não são de fácil entendimento. 

 

Ter o suporte de um profissional pode tornar essa experiência mais fácil e satisfatória. Algumas perguntas vão ajudar o técnico a entender as necessidades e o desejo do cliente para auxiliá-lo da melhor forma. Veja quais são a seguir!

 

Principais tipos de caixa acústica

Uma série de fatores pode determinar um tipo de caixa acústica. Entre eles estão faixa de frequência, cobertura de espectro, tipo de transdutor, potência.... Cada modelo é construído para atender a situações específicas, e é por isso que nem sempre uma caixa mais potente é melhor que outra cuja potência seja menor. Os principais modelos utilizados em sonorização de ambientes são:

 

Caixa ativa e caixa passiva

A caixa ativa é o modelo que conta com amplificador embutido. A caixa passiva tem o amplificador externo. 

 

Caixa simples

São caixas que não interferem na acústica, produzidas e utilizadas para suportar o alto-falante apenas. 

 

Bafflee infinito (defletor)

O modelo desvia parte das ondas sonoras posterior do alto-falante e reduz o cancelamento de fase. 

 

Caixa fechada (closed box)

É um tipo de caixa hermeticamente fechada. Pode ser preenchida com material fonoabsorvente para reter parte da energia sonora que é gerada pela parte de trás do alto-falante. 

 

Bass-reflex (refletor de graves)

São caixas acústicas que contam com um duto ou uma abertura para a canalizar a baixa frequência que é produzida na parte posterior do alto-falante. Dessa forma, permite que a ressonância seja feita em baixa frequência. Costumam ser utilizadas para reproduzir sons graves. 

 

Caixa band pass (caixa passa-banda)

Desenvolvidas em dois ou mais compartimentos separados. Um deles fica à frente do woofer e o outro atrás. A parte da frente funciona como um gabinete ventilado. A parte traseira é como uma caixa selada. Esse tipo de caixa é desenvolvido para reproduzir sons graves. 

 

Caixa cornetas (horn loaded)

As caixas cornetas são grandes e desenvolvidas para converter parte do sinal entregue pelo amplificador em energia acústica. Além disso, consegue direcionar o som emitido com qualidade. 

 

Sonofletores de falantes múltiplos ou múltiplas vias (full-range)

São caixas acústicas que contam com tweeters, mid-ranges e woofers que ajudam a cobrir parte do espectro audível de frequências. Além disso, conta com um circuito passivo para separar as frequências e enviá-las ao alto-falante correto. Dessa forma, protege-o de sobrecargas, reduz a distorção e melhora a qualidade do sinal sonoro porque cada falante reproduz apenas uma parte de todo o espectro de frequência. 

 

Essas informações podem não ser relevantes para o usuário final, dependendo do uso do equipamento, mas ajudam o profissional a entender e direcionar o melhor recurso ao usuário. Além disso, é importante levantar algumas informações junto ao cliente para entender a sua necessidade antes de orientar sobre qual produto adquirir. 

 

O que você precisa saber antes de escolher uma caixa acústica?

A escolha de uma caixa acústica pode parecer algo simples de se fazer. Afinal, todos os modelos têm a mesma função, certo? Errado! 

 

As caixas acústicas são desenvolvidas com recursos e tecnologias específicas para atender necessidades e características específicas. Mesmo que seja capaz de abranger um grupo de pessoas. Há casos em que o cliente escolhe uma caixa com uma alta potência, quando o objetivo é utilizar o equipamento em uma sala pequena. 

 

Nesse caso, faz um investimento alto e desnecessário e não conseguirá utilizar toda a potência e capacidade que o equipamento proporciona. Por esse motivo, que é importante levantar o máximo de informações do cliente. Apenas dessa forma será possível auxiliá-lo com a sua aquisição. 

 

Tipo de compra: residencial ou comercial?

Saber se o cliente quer um equipamento para uso comercial ou residencial não está relacionado com o tipo de pagamento ou emissão de nota que será feito. Essa informação pode influenciar na capacidade e na potência que o equipamento deve ter. 

 

Uma caixa de som acústica para uma empresa pode ser colocada dentro de uma loja, com objetivo de proporcionar um som ambiente ao cliente. Isso também quer dizer que será utilizada o dia inteiro e a semana toda. 

 

Diferentemente de um modelo adquirido para o uso residencial. Nesse caso, a caixa pode compor o equipamento de home theater e cinema dos moradores. Além disso, a tendência é que seja usado por menos tempo. 

 

O cliente que quer um equipamento para sua loja pode ter interesse em uma caixa acústica mais discreta e quase imperceptível. Já o cliente que busca uma caixa de som para uso residencial pode priorizar as cores do material, de forma que combine com os demais itens que utiliza em casa. 

 

Ter uma ideia do espaço que a caixa de som vai atender é fundamental para identificar qual o equipamento que tem a potência mais adequada.

 

Uso interno ou externo? 

Algumas pessoas não consideram esse fator na hora de comprar uma caixa acústica e são prejudicadas pela falta de atenção. Os equipamentos são desenvolvidos com características que atendem usos específicos. 

 

Uma caixa de som para uso interno não conta com recursos que possam protegê-la da exposição ao sol, chuva, vento, maresia e outras ações naturais. Colocar um equipamento de uso interno em um jardim, por exemplo, pode danificá-lo no primeiro chuvisco e o fabricante não poderá ser responsabilizado. 

 

Na hora da venda, o profissional deve explicar ao cliente as diferenças entre os equipamentos. As caixas de som para áreas externas podem ficar totalmente expostas e não serão danificadas. Pelo contrário, continuarão funcionando adequadamente. 

 

Posicionamento e utilização

A caixa acústica é um equipamento que deve proporcionar fácil utilização e permitir uma certa mobilidade, caso seja necessário. O cliente pode ter o interesse de direcionar o som para um local específico por exemplo. 

 

Por isso, sua fixação não pode ser única. O ideal é que o cliente tenha o mínimo de mobilidade possível, mesmo que isso não seja uma exigência inicial de sua compra.

 

Durabilidade

Equipamentos de som são recursos que devem durar longos anos. Não são produtos desenvolvidos para o rápido descarte, mas isso pode sofrer interferências do tipo de uso ou de material utilizado na fabricação.

 

Algumas telas, por exemplo, são desenvolvidas com materiais que perdem a cor, oxidam ou amarelam com o passar do tempo. Dessa forma, mesmo que esteja funcionando, pode causar incômodo no cliente. Principalmente quando o equipamento fica exposto, como é o caso de estabelecimentos comerciais ou em ambientes externos e residenciais. 

 

A tela de alumínio é a melhor alternativa, pois não sofre interferências que possam prejudicar sua estética. 

 

Tipo de instalação

Algumas caixas acústicas podem ser instaladas pelo próprio cliente, pois o processo é simples e contam com manuais bem explicativos. Ainda assim, em geral, o cliente prefere contratar um profissional para garantir que a instalação seja feita corretamente. 

 

Em qualquer um dos casos, é fundamental ter um equipamento que seja fácil de instalar, ofereça segurança e agilidade ao instalador. Esses profissionais fazem uma série de instalações no mesmo dia e qualquer tempo perdido entre um processo e outro pode prejudicar toda rotina de trabalho. 

 

Com objetivo de diminuir o tempo dedicado a uma instalação e outra a Frahm desenvolveu uma modelo de caixa acústica com conector de engate rápido. O modelo oferece velocidade, praticidade e segurança ao instalador. 

 

Diferentemente da maioria dos modelos disponíveis no mercado, que utilizam terminais de rosca, o engate das caixas acústicas HS e CS reduzem o tempo dedicado à instalação. Além disso, o equipamento conta com um espaço externo para instalação do transformador. Assim, não é necessário desmontar a caixa para colocá-lo. 

 

Veja outras vantagens da caixa acústica HS e CS da Frahm:

 

  • Poliestireno Virgem: que garante resistência a impactos e condições de clima;
  • Evitar cancelamentos acústicos;
  • Proteção UV que garante que a caixa não sofra variações de cor com o passar do tempo; 
  • Telar em alumínio, que evita corrosão e variação de tonalidade;
  • Carcaça em chapa metálica (modelo HS);
  • Cone profundo e borda extra-large para garantir ênfase nas baixas frequências;
  • Centragem de aramida;
  • Bobina feita com camada quádrupla de fio SV e corpo em fiberglass (modelo HS)
  • Alta concentração de fluxo magnético através de conjunto robusto;
  • Via de alta frequência com Tweeter de Neodímio como domo de Myler; 
  • Filtro High Pass acoplado;
  • Suporte articulado que permite mover ou direcionar a caixa, entre outros recursos. 

 

A qualidade de uma caixa acústica pode não ser percebida no dia a dia, pois o ideal é que o equipamento cumpra com a sua função e não prejudique a rotina dos usuários. Por outro lado, caso não cumpra com o seu papel, será facilmente percebida, criticada e causará insatisfação no cliente. 

 

Por esse motivo, a escolha de uma caixa acústica é um processo que deve considerar uma série de fatores. Ter conhecimento sobre as informações que listamos neste conteúdo vai ajudar o cliente a adquirir um produto de qualidade que atenda às suas necessidades. Dessa forma, é possível proporcionar uma experiência agradável e satisfatória para todos que terão contato com o equipamento. 

 

A Frahm desenvolve produtos com o objetivo de superar a expectativa de seus clientes, para isso está sempre observando e estudando as necessidades e deficiências do mercado. Saiba mais sobre as caixas acústica HS e CS e veja como elas podem tornar os momentos na sua casa ou na sua empresa mais agradáveis.

< Anterior Próximo >