Som ambiente: alternativas para sua loja de som automotivo faturar mais
17/07/2018

Som ambiente: alternativas para sua loja de som automotivo faturar mais

Categoria | Lojista automotivo

Muitos empresários que querem expandir a atuação dos seus negócios pensam, num primeiro momento, em trabalhar com uma área correlata à qual já dominam. Sendo assim, quem tem uma loja de sonorização automotiva pode investir no ramo de som ambiente. Com um contexto muito semelhante ao da venda e instalação de dispositivos para os carros, este segmento permite diversificar o mix de produtos e serviços oferecidos, ampliar a carteira de clientes e não necessariamente empenhar recurso de tempo e  dinheiro na re-capacitação dos profissionais.

 

É verdade que uma pesquisa recente de uma consultoria internacional apontou que o mercado de som automotivo movimenta cerca de R$ 3 bilhões por ano em todo o Brasil, e que nesta cifra estão somados os valores gastos pelos proprietários de veículos em rádios, CD/DVD e Blu-ray players, alto-falantes, caixas acústicas e módulos amplificadores, além das centrais multimídia e outros equipamentos para melhorar o consumo de mídia no interior dos carros. Mas o retrato desse nicho de negócio não deve servir para acomodar o empresário. Muito pelo contrário.

 

Estudos realizados com lojistas e consumidores apontam que os clientes de lojas de som automotivo são majoritariamente jovens, têm entre 20 e 30 anos e pertencem às classes econômicas B e C. Esse perfil, que tende a incentivar a compra de dispositivos e equipamentos para o carro, acaba mudando a cada ciclo de cinco ou dez anos, acompanhando a evolução da vida pessoal dos frequentadores e a mudança de foco nas compras. Dessa forma, é importante que o lojista esteja atento a esses movimentos para, quando for o momento, manter o cliente quando este procurar outro tipo de som.

 

Além disso, há uma questão legal que fez com que os instaladores sentissem as mudanças no mercado: a aprovação e regulamentação da resolução 624/2016 do Conselho Nacional de Trânsito, que trata sobre as novas regras para a utilização desses aparelhos. Ela proíbe a utilização de equipamentos que produzam sons audíveis do lado de fora do veículo, independentemente do volume ou da frequência, que perturbem o sossego público em ruas e estradas. Quem for flagrado está sujeito à multa, apreensão do veículo e regularização por meio da desinstalação dos módulos e caixas acústicas.

 

Áreas de atuação para aumentar o faturamento

 

A história do negócio que foi construído para atender as demandas do som automotivo é um diferencial importante na hora de ampliar o leque de atividades para a área do som ambiente. Isso porque a essência desses dois segmentos é basicamente a mesma: eletrônica, propagação sonora, técnica e equipamentos de qualidade. A expertise adquirida ao longo de anos em um negócio pode ser usada para buscar outros públicos, que vão complementar o faturamento da empresa sem se distanciar da sua essência.

 

Além das ferramentas, do conhecimento técnico e da capacitação dos colaboradores que pode ser aproveitada, há fornecedores que podem apoiar o empreendedor neste momento de ampliação das atividades. A indústria nacional tem cases de sucesso que há mais de 50 anos entregam produtos de qualidade, versáteis e competitivos para os pontos de venda, atendendo a uma gama ampla de desejos do consumidor. A contribuição deles se dá por meio da confiança já construída junto ao ponto de venda e até ao consumidor, que já sabe que a marca é confiável e, por conhecê-la, deve buscá-la quando quiser investir em projetos diferenciados.

 

Nos últimos anos, o mercado de sonorização profissional movimentou cerca de R$ 1 bilhão segundo um levantamento feito pela Associação Brasileira da Música. Este segmento envolve empresas que atuam em eventos, comercializam instrumentos musicais e também as que projetam e instalam sistemas completos em ambientes domésticos, comerciais e institucionais.

 

Só as igrejas, por exemplo, são responsáveis por 50% do faturamento desta atividade anualmente no Brasil. Outro segmento que investe bastante na instalação de caixas acústicas e equipamentos de som profissional é o esportivo: estádios de futebol ginásios e quadras ocupam o segundo lugar, seguidos por casas de shows.

 

Veja uma sugestão de lugares onde o empreendedor pode oferecer seus produtos e serviços de som ambiente:

 

  • Salas de teatros;
  • Sonorização de palcos para shows;
  • Empresas;
  • Escolas;
  • Residências;
  • Bares e restaurantes;
  • Clubes;
  • Auditórios;
  • Realização de projetos de acústica;
  • Análise acústica, atualização e remodelamento de ambientes;
  • Elaboração de projeto de isolamento e condicionamento acústico;
  • Controle de ruído acústicos, ambientais e vibrações.

 

Para entender como a sua loja de som automotivo pode explorar esses lugares oferecendo produtos e serviços relacionados à sonorização de ambientes, leia o nosso e-book.

 

som ambiente

 

Bons negócios!

< Anterior Próximo >